sexta-feira, 18 de novembro de 2011

CAMPEONATO ARRANCA HOJE EM SANTA CATARINA

CAMPEONATO ARRANCA HOJE EM SANTA CATARINA
Mundial de bodyboard conta com quatro atletas terceirenses na ‘line-up’


Publicado na Quinta-Feira, dia 17 de Novembro de 2011, em Actualidade

A linha da frente do Azores Islands Bodyboarding Festival 2011, que arranca hoje no pico de Santa Catarina, concelho de Praia da Vitória, prolongando-se até ao próximo dia 27, conta com quatro atletas terceirenses – Samuel Barcelos, Miguel “Biscoito” Mendonça, Nelson Branco e Laura Barbosa são os jovens promessa.

Enquanto no Top nacional está Hugo Pinheiro e Catarina Sousa, no internacional Pierre Louis Costes é a figura destaque.

Considerada “pedaço de património” ou “rainha”, o pico de Santa Catarina, localizado no concelho da Praia da Vitória, acolhe a partir de hoje e até ao próximo dia 27 o Azores Islands Bodyboarding Festival 2011, um evento que os atletas terceirenses participantes manifestam um especial contentamento sobretudo por ter motivado resoluções no local ligadas ao meio ambiente.

O nosso jornal esteve à conversa com Samuel Barcelos, Miguel “Biscoito” Mendonça, Laura Barbosa e Nelson Branco, as jovens promessa de uma modalidade que, segundo os praticantes, está a viver um momento de viragem na ilha e na região pela vitória de uma luta antiga.

“Este evento surge na sequência de uma vitória sobre a remoção do esgoto cujas descargas de resíduos da fábrica de conserva estavam a poluir a onda de Santa Catarina. Foi o melhor que poderia acontecer e o mais importante no todo relacionado com o campeonato”, considera Samuel Barcelos, natural da Praia da Vitória, um dos nomes “wild cards” do GQS do referido Festival, na Etapa do Circuito Mundial de Qualificação 2011 – IBA World Tour.

Há oito anos ligado à modalidade e figura de referência em revistas da especialidade, o atleta mostra-se confiante e ao mesmo tempo ansioso pelo que será o seu desempenho nestes dias que espera “boas ondas”.

Questionado sobre o lugar que o bodyboard ocupa na sua vida, Samuel Barcelos, ou Sam para os amigos, é peremptório: “O bodyboard é a nossa droga. E, pessoalmente, costumo dizer “Há mar sem Sam mas não há Sam sem mar”.

Salienta que a onda de Santa Catarina possui naturalmente um “point break perfeito”, explicando o significado para quem pouco domina os termos técnicos dessa modalidade.

“Quebra para os dois lados. O fundo é de pedra, por isso é mais agressiva e, logo, dá mais adrenalina”, diz.

Já Nelson “Nelssim” Branco, oriundo da freguesia do Porto Martins, e o mais novo do grupo, destaca o que, no seu entender, é necessário para ser considerado “bom bodyboarder”. As qualidades passam pela “paixão, humildade e respeito pelo mar”, ideias, aliás, partilhadas pelos seus amigos e colegas presentes.

Diz que entre todos existe profunda amizade e, apesar de serem adversários no âmbito do campeonato, os laços dificilmente serão afectados.

“Não há rivalidades aqui como existe lá fora. Existe união entre todos e isso é fantástico”, considera o jovem de 19 anos de idade reconhecido pelos seus “aéreos” entre os membros da comunidade.

Laura Barbosa reafirma as palavras de “Nelssim” acrescentando que, ao contrário dos comentários comuns, os bodyboarders e surfistas “dão-se bem” e, além disso, a comunidade acolhe “com amizade e apoio” novos elementos.

“Fui muito bem acolhida. E o facto de ser mulher não trouxe contratempos. Há respeito, muita amizade e convívio”, conta a estudante do curso superior Guias da Natureza, uma área que lhe agrada desde a infância, sendo que, segundo dizem os amigos orgulhosamente, trata-se da única mulher a “dropar a onda de Santa Catarina” até ao momento.

Questionados sobre as necessidades desse desporto no contexto Açores, as posições são unânimes ao salientarem os apoios no sector desportivo nomeadamente o que engloba os custos da insularidade e a condição geográfica.

“Sai muito dispendioso sair dos Açores. São os custos das passagens aéreas e o transporte de carga do material”, considera Samuel Barcelos. E Laura Barbosa acrescenta: “As viagens são importantes para podermos conhecer ondas diferentes”.

Nelson “Nelssim” Branco justifica salientando a prática e a experiência adquirida.

“Só assim é possível evoluir como atletas e como pessoas”, remata.

O Azores Islands Bodyboarding Festival 2011, organizada pela União de Surfistas e Bodyboarders dos Açores (USBA) em parceria com a Associação de Surfistas da Terceira (AST), integra a partir de hoje e até domingo, dia 20, a 3ª etapa do Circuito Nacional de Bodyboard Open e Feminino e, dias 22 a 27, a etapa do Circuito Mundial de Qualificação GQS da IBA.

Protagonista do cartaz

O protagonista do cartaz criado para o Azores Islands Bodyboarding Festival 2011, Miguel Mendonça, popularmente conhecido por “Biscoito”, fotografado por Paulo Melo, é um dos riders terceirenses participantes no evento cujo desempenho se destaca nos “tubos”.

Contando com oito anos de actividade e confessar a sua preferência por ‘free surf’, o bodyboarder exalta a beleza e qualidade da onda de Santa de Catarina, onde, conta, viveu a sua maior queda – ‘wipe out’ –, logo nos primeiros tempos de prática da modalidade.

“Foi marcante sobretudo a nível psicológico, porque teve impacto na minha evolução no bodyboard”, declara Miguel Mendonça, à conversa com “a União”, salientando as características do dito spot localizado na Praia da Vitória. “É uma onda muito técnica e, por isso, é necessário bastante evolução”, considera.

Neste sentido, adianta, diz ter boas expectativas quanto ao evento que hoje arranca. À semelhança dos seus amigos e colegas, o foco não está na competição em si mas no cenário e mobilização de gentes que a iniciativa irá proporcionar à ilha Terceira.

“A adrenalina e o convívio com os amigos também são parte importante. Além disso, e não menos significativo, é o facto de o esgoto ter sido removido de Santa Catarina. Deixa-me muito feliz”, sublinha.

Em matéria de ‘swell’ para o campeonato, considera o ideal 1,5m com sets de 2m, e confessa a ‘invert air’ como a sua manobra preferida.

No que concerne a influências a nível local, destaca o perfil desportivo e pessoal de Carlos Leal e Samuel Barcelos, ambos seus amigos ligados à Associação de Surf da Terceira (AST), e, no campo nacional, Luís ‘Porkito’ Pereira.

Miguel “Biscoito” Mendonça tem 23 anos de idade, é formado em técnicas de Construção Civil, e, presentemente, está a frequentar o curso superior de Energias Renováveis na Universidade dos Açores.

“Verdadeiro desafio”

De acordo com a USBA, os top’s nacionais Manuel Centeno e Jaime Jesus, que já se encontram na ilha Terceira, têm treinado “em boas ondas”, conforme as palavras deste último atleta “com mais rodagem em Santa Catarina: “Esta é a terceira vez que aqui venho e já apanhei muito boas ondas, se bem que nunca com o tamanho que isto pode dar. É uma onda triangular com tubos e rampas para a direita e esquerda, em fundo de pedra bem raso. Isto, a partir de um metro, pode apresentar um verdadeiro desafio só à altura de bodyboarders muito experientes. Penso que pode dar um excelente espectáculo”, sustenta.

Outros nomes participantes vindos do continente são Hugo Pinheiro, Manuel Centeno, e Gastão Entrudo, e, ainda, Catarina Sousa e Rita Pires.

Para além de Samuel Barcelos, a USBA inclui o Pedro “Pedrim” Correia ( ilha de São Miguel) como ‘Wild Card’, sendo que o 3º será para o melhor açoriano na 3ª etapa do Nacional e o 4º será atribuído pela ETB.

Sónia Bettencourt

Sem comentários: